29 de novembro de 2008

Um sermão atualizado


Fomos à igreja hoje e o pastor, para falar a respeito do jovem rico e da sua indisposição para doar seus bens aos pobres e seguir a Jesus, ilustrou o sermão com um tema atual. Na realidade é importante ilustrar mensagens dessa forma, ocasionando um entendimento rápido e objetivo.

Tal tema foi a crise mundial e seus efeitos nos bancos. Gigantes do setor financeiro que estão se esfacelando. Pessoas que tinham recursos nos bancos e que se viram imersas na insegurança.

O pastor citou um economista que teria dito que os bancos são “como os passarinhos que morrem de repente”. Pouco entendo do viver e morrer dos pássaros. Sei que os bancos, muitas vezes, não demonstram a saúde que de fato possuem. Quando morrem há surpresas para os correntistas, mas certamente não há surpresas para os banqueiros. Não importa muito isso, no momento, a realidade é que os bancos quebram.

O objetivo do pastor era mostrar que o jovem rico estava preso a bens materiais que estão vulneráveis ante os atos humanos e atos que independem da ação humana. Em troca da manutenção de bens terrenos o jovem rico abriu mão de riquezas eternas.

Outro ponto interessante no sermão deste sábado foi a extensão do pensamento do pastor, simulando situações que poderiam ter ocorrido no caso do jovem rico ter aceitado o convite de Cristo:

1. Quem sabe Judas não teria vendido o Mestre por trinta moedas! Ele teria pensado algo assim: “como vender o Mestre por tão pouco? Há no nosso meio alguém que doou tudo (e muito) só para estar ao lado dEle.” Em palavras diretas é como se a aceitação do jovem rico pudesse ter sido um elo de conversão de Judas, tão preso a bens materiais...

2. Outra extensão: quem sabe, no caso da aceitação do jovem rico, pudesse, inclusive, existir um quinto Evangelho! Seria escrito por alguém que tendo doado todos os bens se fizera pobre, mas ao lado do Mestre. Muitas almas poderiam vir aos pés da cruz influenciadas pelo quinto Evangelho...

São ilustrações válidas no contexto do qual se serviu o pastor Itaniel Silva. Ele focou sua mensagem num ponto importante para a comunidade local: a necessidade de reformar a igreja - via ajuda dos membros.

O que quero, porém, destacar na mensagem, independentemente do seu objetivo principal, é a forma como a mensagem foi apresentada e ilustrada.

Tudo à luz do momento atual no mundo.

Nota do Editor:
comentários acerca do sermão deste sábado, 29/11/2008, proferido pelo pastor Itaniel Silva. Igreja do UNASP I - São Paulo, Capital.

Enéias Teles Borges

2 comentários:

Cleiton Heredia disse...

Amigo, que loucura é esta?

Tudo bem, sei que a igreja precisa de dinheiro, mas este tipo de abordagem é um chute na canela de qualquer teólogo ou mesmo membro com um mínimo de discernimento teológico.

Judas convertido pelo exemplo do jovem rico?

Um quinto evangelho que levaria muitas pessoas aos pés de Jesus?

Desta forma qualquer um pode inventar qualquer maluquice para defender qualquer coisa.

Isto não é TEOlogia e sim SEologia.

Gosto muito do Pr.Itaniel e sei que ele é um grande teólogo, mas acho que ele só prega estes tipos de sermões por pressão da alta cúpula ministerial que só pensa em "grana".

CONVICTOS OU ALIENADOS? disse...

Caro Cleiton:

Que diferença do nosso tempo (formatura em 1985) para hoje. Estou indo ao segundo culto. Igreja menos cheia, comunidade mais parecida com a do interior...

Vamos lá?